DEIXEM AS CRIANÇAS EM PAZ!

Petição dirigida a: Deputadas Joana Mortágua e Sandra Cunha

 

DEIXEM AS CRIANÇAS EM PAZ!

05.000
  2.452
 
2.452 pessoas já assinaram esta petição. Ajude-nos a conseguir 5.000 assinaturas.

DEIXEM AS CRIANÇAS EM PAZ!

O deputado do PSD, Bruno Vitorino, do Barreiro, criticou no Facebook, em termos vigorosos, uma ação de “sensibilização” sobre “diferentes orientações sexuais” junto de alunos de 11 anos, na Escola 2/3 da Quinta da Lomba (Agrupamento de Escolas de Santo André).

Considerou a ação “uma porcaria” e “uma vergonha”. E afirmou que é perverso adultos avançarem sobre este campo junto de crianças.

O deputado não fez qualquer juízo sobre “diferentes orientações sexuais”. Limitou-se a escrever aquilo que tantos pais pensam e receiam dizem em voz alta: não é admissível doutrinar crianças, em nome da tolerância, e à revelia dos pais, os seus verdadeiros educadores.

A sua publicação foi, sem surpresa, censurada pelo Facebook, como “discurso de ódio”, graças à pressão do lobby LGBT. E as deputadas Joana Mortágua e Sandra Cunha apresentaram uma queixa contra o deputado na Comissão para a Igualdade de Género, que é o organismo responsável pela implementação destas políticas ditatoriais.

Manifeste o seu apoio a Bruno Vitorino, exigindo que as deputadas Joana Mortágua e Sandra Cunha retirem a queixa e peçam, publicamente, desculpas ao deputado.

Não estão em causa racismo, homofobia ou qualquer outro dos chavões utilizados pelo Bloco de Esquerda. O que está verdadeiramente em causa é o direito dos pais educarem os seus filhos, sem interferências ideológicas do Estado, e o direito à liberdade de expressão.

Queremos este país, onde um deputado eleito democraticamente está a ser atacado por não alinhar com o pensamento de uma minoria fascista? Queremos Portugal transformado numa Venezuela?

DEIXEM AS CRIANÇAS EM PAZ!

 

A equipa Citizen Go Portugal

Esta petição foi criada por um cidadão ou uma organização independente de CitizenGO. Por essa razão, CitizenGO não é responsável por seu conteúdo.
+ Letter to:

Assine esta petição agora!

 
Please enter your first name
Please enter your last name
Please enter your email
Please enter your country
Please enter your zip code
Por favor, escolha uma opção:
Procesamos seus dados pessoais de acordo com nossas Política de privacidade e nossos Termos de uso.Ao assinar você aceita os termos de uso da CitizenGO e sua política de privacidade, e aceita receber mensagens de e-mail sobre nossas campanhas. Você pode cancelar seu cadastro na lista a qualquer momento.

Petição dirigida a: Deputadas Joana Mortágua e Sandra Cunha

Senhoras deputadas

Joana Mortágua e Sandra Cunha

 

Venho por este meio exigir que retirem a queixa apresentada na CIG contra o deputado Bruno Vitorino, eleito com a mesma legitimidade democrática que vos colocou na Assembleia da República.

Exijo ainda que as senhoras deputadas peçam desculpas, publicamente, ao deputado visado, por o terem acusado de “delito de opinião”

Bruno Vitorino expressou aquilo que muitos cidadãos deste país pensam: não é admissível, sob o pretexto de educar para a tolerância, doutrinar crianças de acordo com a ideologia de género.

Não é igualmente admissível que associações LGBT entrem livremente nas escolas, enquanto tantas outras, que defendem opiniões contrárias, são barradas nos portões.

É aos pais que compete educar os filhos. Os impostos pagos por todos não podem estar ao serviço de uma minoria que quer doutrinar desde a infância, tentando criar cidadãos submissos às suas ideias.

Parem de intimidar os vossos adversários políticos, usando métodos praticados na Venezuela, na China, na Coreia do Norte e em tantos outros países que defendem publicamente, mas nos quais se recusariam a viver.

Respeitem a liberdade de expressão, senhoras deputadas. Coloquem em prática os slogans tantas vezes usados no vosso discurso: respeito e tolerância.

E, sobretudo, DEIXEM AS CRIANÇAS EM PAZ!

Atenciosamente,
[Seu nome]

DEIXEM AS CRIANÇAS EM PAZ!

Assine esta petição agora!

05.000
  2.452
 
2.452 pessoas já assinaram esta petição. Ajude-nos a conseguir 5.000 assinaturas.